Composição: Kleber Lucas

Alegrai-vos, filhos de sião
Regozijai-vos no senhor
Porque ele vos dará,
Em justa medida, a chuva…a chuva…
a chuva…a chuva…

As eiras se encherão de trigo..houooo
E os lagares transbordarão
De óleo e vinho

Restituirei os anos
Que foram consumidos
E lhes mostrarei
A minha salvação
E sabereis que

O melhor de Deus ainda está por vir…

Análise por Valmir Sarmento

Essa música termina com uma frase cujo sentido é de difícil interpretação: o melhor de Deus ainda está por vir. Vamos meditar e tentar entender o que o autor quis dizer com esse verso.

Sabemos que o melhor do Eterno é o seu filho Yeshua. Ele é a expressão exata de seu Pai e por Ele foi enviado para entregar sua vida em expiação pelos pecados daqueles que creem no evangelho. Dizer, portanto, que o melhor de Deus ainda está por vir pode significar que a vinda do Verbo divino a este mundo é um acontecimento que no futuro ainda ocorrerá e que, portanto, ainda não aconteceu.

Mas como sabemos que o autor da música é um cristão, e não um judeu tradicional, podemos deduzir que ele não quis afirmar que Yeshua não é o Mashiach.

Então o que seria esse “melhor de Deus” que tanto está se cantando pelo Brasil afora? A música nos faria pensar, uma vez descartada a hipótese de ser a Yeshua que a música se refere, que o melhor de Deus é a chuva que virá, o enchimento de trigo nas eiras ou o óleo e o vinho transbordando nos lagares.  Nesse caso, a vinda o Mashiach se tornaria  um evento de importância secundária na história da humanidade, em detrimento das bençãos que os céus aguardam para derramar no futuro. Na tendenciosa mentalidade de muitos cristãos adestrados na teologia da prosperidade, a frase “o melhor de Deus” ganha, assim, o sentido de uma restituição dos bens materiais que foram consumidos pelo devorador – é o tempo da abastância financeira que um dia ainda virá!

Dessa forma, “o melhor de Deus” cria em nossas congregações um enorme problema: essa pequena, e problemática, frase pode ganhar conotações de uma palavra profética de um Mashiach que ainda não veio ou nos remeter ao entendimento de que a dádiva mais importante que o Senhor pode nos dar não é o seu Filho e sim as bençãos que estão porvir, principalmente, financeiras.

Para acreditar que não houve inteção por parte do autor nesses dois sentidos, somos forçados a entender que ele quis dizer que Yeshua Hamashiach ainda está por vir uma segunda vez. E somente assim poderemos continuar ouvindo e cantando essa música em nossas igrejas sem ofender o sentido das escrituras.

About these ads